Porque ser simples é ser feliz

Certas vezes penso sobre o que realmente é ter muito e ser rico. Adianta andar de helicópteros, se não tem amigos para andar junto? Ou o seu "amigo" é um armário duplex preto que chamam "carinhosamente" de segurança? Quando se tem tudo, não há sonhos, somente desejos desesperados.

Quando analiso a minha vida, vejo que tive altos e baixos, momentos de felicidade e desespero. Uma coisa peculiar me chamou atenção: os momentos mais felizes de minha vida "não-vivida" não dependeram de bens materiais, como o dinheiro. Todos esses momentos foram (e são) mágicos, pois depende da essência do momento: felicidade absoluta. O que influencia na presença (ou ausência) dessa felicidade são os fatores básicos da convivência humana: um triunfo pessoal, a presença dos grandes amigos, um grande amor.

Em pensar que muitas pessoas (inclusive eu, que já tive) têm o desejo de enriquecer, sair dessa vida injusta e de miséria. Sejamos francos: a vida em sua essência é miserável e injusta, mas antes ela já foi melhor. Houve uma época em que as pessoas eram realmente livres, não precisavam se preocupar se o seu salário dava para o fim do mês; não precisavam pagar por tudo que usavam, apenas colhiam o que necessitavam. Nessa época a ganância era apenas uma doença; hoje ela é senso comum.

Não estou dizendo que enriquecer é ruim, mas depois de um certo tempo você começa a perceber que nem tudo é o "País das Maravilhas". Certas flores podem possuir grandes espinhos.


_arquivo

del.icio.us



FEED RSS



Creative Commons License